sábado, 27 de abril de 2013

Dicas para o imposto de renda canadense


Olá leitores,


Já dizia o sábio “In this world nothing can be said to be certain, except death and taxes”.  E a mordida do leão canadense é grande, então nessa época do ano em que estamos, a famosa “tax season” fica todo mundo atrás disso.

Em 1º lugar, esse post talvez seja um pouco em cima da hora para o IR desse ano, mas estou escrevendo com tudo “fresco” na memória, e na tax season do ano que vem vou postar novamente.


No 1º ano que tivemos que declarar o IR aqui, fiquei que nem doida atrás de informação e não achava nada na internet, blogs, sites especializados.  Eu acostumada a fazer meu IR rapidinho no software da receita, fui descobrir que naquele ano nenhum dos softwares que pesquisei aqui estava calculando direito os meses que moramos no país (eles não tinham um campo pra dizer a data em que a pessoa virou residente no país).  

Como chegamos em agosto e só comecei no meu emprego em 1º de janeiro de 2011, não tínhamos renda em 2010 pra declarar, mas como pagamos o mestrado do marido queria declarar para poder usar os refunds que o governo dá (sim minha gente, aqui você pode jogar algumas deduções de um ano para outro e só usar quando lhe convier).  O principal problema é que na época o marido não tinha SIN number pois não podia trabalhar (era apenas estudante) e pra eu fazer a minha declaração tinha que colocar o SIN number do marido!  Com muito custo, descobrimos que se um estudante não tem SIN number e mesmo assim quer declarar IR, precisa pedir um tal de ITN number (que é como o SIN, mas não vale pra trabalhar).  Claro, que isso é só por correio e demora 6 semanas pra ficar pronto e não ia dar mais tempo de mandar tudo antes do dia 30 de abril!  Fiquei até com palpitação de tanta ansiedade, com medo de não entregar tudo no prazo.  Acabamos parando num escritório da H&R Block, uma das empresas mais populares para fazer seu IR aqui – o contador que nos atendeu nos explicou que se você não tem imposto a pagar (que era o nosso caso), o deadline de 30 de abril para a entrega da declaração não procede – você só precisa declarar até 30/04 se tiver imposto a pagar, se tiver imposto a receber o governo não se importa se você atrasar. 

Ufa, com isso pra trás, conseguimos seguir a vida.  Acabamos fazendo o IR no 1º ano apenas no ano seguinte, um pouco antes da nova “tax season”.  Resolvi fazer a declaração sozinha afinal, não tínhamos renda.  Quase tive outro ataque de ansiedade – é simplesmente impossível um leigo fazer a declaração em papel!  É tanto campo, cálculo, termos que a gente não conhece... acabei colocando o rabinho entre as pernas e contratando um contador.  Ele até que fez um preço camarada (foi uns $100 para as duas declarações, já que não tinha praticamente nada a declarar!).  No ano seguinte, marido já tinha o SIN number.  Acabamos fazendo novamente com o contador pois queria garantir que o CRA soubesse que a declaração do ITN X agora era do SIN Y.  Aff!

Encontrar um contador também foi uma dureza.  Ninguém tinha ninguém pra indicar, tudo mundo só reclamava de seus próprios contadores.  Acabei caindo em um brasileiro indicado por um grupo no Facebook.  O cara resolveu o problema mas errou as duas vezes – ele me deu um papel dizendo que tinha direito a X de restituição e em ambos os anos o governo falou “olha, sua restituição é X – Y.  Desisti de pagar pro cara errar – e eu sou daquelas que tenho que confiar muito no trabalho de alguém pra deixar que essa pessoa faça algo por mim.

3ª tax season, hora de eu finalmente fazer minha própria declaração!  Pesquisei os vários softwares disponíveis (pra quem ainda não “sacou”, a receita canadense não tem seu próprio software, você precisa comprar um software de terceiros pra fazer sua declaração...) e acabei escolhendo o TurboTax.  


Na verdade, não comprei o software, fiz tudo online – a vantagem de fazer online é que você faz tudo, calcula a restituição e só no final, na hora de enviar os dados, é que paga.  Eu como sou desconfiada, depois que terminei tudo no TurboTax mas antes de pagar, fiz também a declaração pelo UFile.  Descobri que o sistema do UFile é o mesmo na H&R Block online, mas não gostei da navegação – achei que ele não me fez tantas “perguntas” e corria um risco muito maior de errar ou deixar de declarar alguma coisa (fora que ele calculou meu refund uns 3 dólares a menos!).  Existe um software grátis, chamado StudioTax.  Lá fui eu baixar e tentar usar – pior ainda!  Pra quem não entende de taxes canadenses, o negócio é um quebra-cabeças!  Veredito: continuarei fazendo pelo TurboTax nos próximos anos.  Antes de pagar joguei no Google “TurboTax coupon” e ainda consegui 15% de desconto.  Ficou $31 para as duas declarações (uma barganha comparado ao contador).

Exemplo de tela to TurboTax - seu refund vai aparecendo enquanto você vai preenchendo os dados!

Agora claro que nem tudo são flores!  No seu 1º ano, você não pode enviar a declaração pela internet (chamado Netfile – equivalente ao ReceitaNet do Brasil), tem que mandar pelo correio.  Você pode fazer pelo software e imprimir.  Como já estamos no 3º ano, achei que estivesse tudo ok.  Bom, a minha declaração foi bonitinha, a do marido “empacou” – o programa diz que é o 1º ano dele!  Aff!  Talvez seja porque mudamos de SIN number, sei lá.  Mas, como já sei que o deadline de 30 de abril não vale pra gente, estou sossegada!  Ele vai tentar ligar no CRA pra ver se resolve, mas qualquer coisa também é só imprimir e mandar pelo correio.

Ah, uma coisa que descobri é que no site do Canada Revenue Agency tem um “my account”. É bem bacana ter a senha (tem que pedir pelo correio e demora alguns dias pra chegar), pois na hora de você fazer sua declaração o governo começa a pedir informação das declarações do ano anterior e entrando nesse site está tudo lá, mesmo que você tenha perdido o papel (meu caso, sei que está aqui em casa em algum lugar, mas vai saber em que pasta foi parar!).

Parece que agora o TurboTax está fazendo declaração pró-rata no caso de quem virou residente no meio do ano.  Se for sua primeira declaração, confira direitinho e tente fazer pela internet, já que pra preparar tudo é grátis.  Se não der certo, bata em uma H&R Block da vida e morra com mais uma “taxinha”!

domingo, 7 de abril de 2013

Enquanto isso, no Brasil... O PEC das Domésticas

Imagino que mesmo os que já estão em terras do norte estão sabendo da "PEC das Domésticas" que está entrando em vigor no Brasil - basicamente dá aos empregados domésticos (incluindo motoristas, jardineiros além das "empregadas" em si) todos os direitos dos outros trabalhadores como jornada de oito horas, horas extras, FGTS etc.

Não estou aqui para discutir a quantidade de encargos trabalhistas no Brasil, mas fiquei felizmente surpresa com essas mudanças, pois aos poucos vai acabando com os resquícios da escravidão e, se o Brasil quer ser um país de primeiro mundo, esse é um dos passos.  O que me chocou foram algumas das reações de conhecidos que vi no Facebook, ainda com a mentalidade casa grande x senzala - já tratei de "ocultar" tais pessoas do meu feed de notícias.

Interessante essa capa da Veja, com o marido com "cara de coitado" por estar lavando um reles prato e a chamada "um sinal de quem em breve as tarefas domésticas serão divididas entre toda a família",como se isso fosse o fim!  Pelo menos confirmam que isso é um "marco civilizatório" para o Brasil.

Pois bem, estava pensando nisso ontem de manhã enquanto eu fazia minha própria unha (acompanhada de uma tacinha de champanhe) ao som da lavadora lavando a roupa, da secadora secando, da lava-louça cuidando dos pratos e do "James" limpando o chão!  Confesso que era uma delícia chegar em casa com tudo arrumado, brilhando, cheirosinho etc - eu até poderia ter isso aqui no Canadá, mas não posso pagar.  Como a maioria dos canadenses não pode (ou não quer) ter uma "secretária do lar", nos resta recorrer às maravilhas modernas para ajudar nas odiadas tarefas domésticas - e recrutar os maridos e filhos para entrar na onda também.

O "James" é o nosso robô-mordomo.  Queria um há muito tempo e pesquisei bastante.  Primeiro olhei o Roomba, mas o Roomba é aspirador.  Olhei o Scooba, o Roomba que "passa pano".  Nessas pesquisas, encontrei o Mint - que passa pano seco (sweeps) e úmido (mops)!  Era tudo que eu queria!

Minha santa mãe me deu o James de Natal e têm sido meu fiel escudeiro desde sempre!  Confesso que nunca meu piso esteve tão limpo!

A Joy e a Nina ainda não entenderam muito bem o que faz o James:

video

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Novas ferramentas aqui no blog! Favor dar like!

Pessoal,

Estou sempre reclamando que não recebo muitos comentários aqui no blog.  Tenho meus fiéis seguidores/comentaristas, mas vejo pelos stats que muita gente lê os posts, as pessoas voltam pra ler as dicas depois mas eu não fico sabendo...  Esses dias fiquei sabendo de gente que foi no lixão de TO por conta do meu post, mas não comentaram!

Para facilitar o massageamento do meu ego, incluí um botãozinho de like do Facebook aqui no blog.  Sei que muita gente lê os blogs "anonimamente", mas quem não se importar e gostar do post, favor dar like!



Coloquei também a ferramentazinha "follow by email", para receberem updates de quando eu fizer um post novo.  Eu mesma sou culpada de seguir muitos blogs e acabar me perdendo na hora de ler todas as atualizações!

O que motiva a continuar escrevendo o blog são os feedbacks que eu recebo - ou seja, quanto mais comentários e likes, mais posts!

terça-feira, 2 de abril de 2013

Canadian Problems – ataque dos papais gansos!


É o famoso “cada um com os seus problemas”.  Ontem chegou aqui na “firma” o seguinte email:



Ontem bem que eu vi os gansos em volta dos carros!  Espero que não resolvam bicar o meu!